V CONBALF - Políticas, Práticas e Resistências

Universidade do Estado de Santa Catarina

agosto 1, 2021 – agosto 29, 2021


Imagem da página inicial da Conferência


“O mundo não será o mesmo após esse momento de Pandemia”. É o que frequentemente se ouve. Nesse mundo, as escolas, sobretudo estudantes e professores, também não serão os mesmos. Mas há algo que não mudará: a necessidade de se oportunizar e garantir educação de qualidade para todos: crianças, jovens, adultos e idosos deste país.

 

Pautada nessa certeza, com os olhos atentos para esse cenário que se vem construindo recentemente mediante rupturas, descompassos e retrocessos nas políticas públicas para alfabetização, a Associação Brasileira de Alfabetização - ABAlf segue resistindo para defender e preservar as conquistas no campo da alfabetização, acolhendo e enfrentando o desafio  de repensá-las e ampliá-las.

Com passos firmes e comprometida com o que será construído e/ou   (re)significado nas práticas reais da sala de aula e nas reflexões científicas  pelas pesquisas no campo da alfabetização, a ABAlf apresenta a proposta de seu V Congresso Brasileiro de Alfabetização, a ocorrer em agosto de 2021: ALFABETIZAÇÃO: POLÍTICAS, PRÁTICAS E RESISTÊNCIAS.  Portanto, o compromisso de todas e todos que a compõem não é pequeno com o presente, mas é ainda maior com o futuro.

As discussões e propostas relacionadas ao campo da alfabetização têm, cada vez mais, ocupado lugar de destaque no cenário acadêmico, educacional e político no Brasil tendo se consolidado em pesquisas, em ações políticas e pedagógicas, visando à produção de conhecimento e alternativas para a inclusão dos cidadãos no universo da cultura escrita.

O Congresso Brasileiro de Alfabetização - CONBAlf emerge após um ano da criação da ABAlf, em 18/07/2012, quando se verificou que não havia no cenário brasileiro um Congresso específico para o debate sobre o conjunto de aspectos e problemas relativos ao tema, que vinha sendo abrigado em outros eventos congêneres, tais como, o GT “Alfabetização, Leitura e Escrita” – da ANPEd, o Seminário de Alfabetização do COLE, e, mais recente, o SIHELE. Trata-se de um evento de natureza científica e pedagógica, que ocorre a cada dois anos, já reconhecido como um dos principais eventos nacionais de debates sobre o tema da alfabetização.

Desse prisma, o CONBAlf se constituiu em um espaço específico para discussão da alfabetização, e se consolidou com a realização e 04 (quatro) edições com repercussões importantes, agregando várias instituições nacionais e pesquisadores internacionais,  professores da educação básica, gestores e demais pessoas que se preocupam com a temática.

Completados 08 anos da criação da ABAlf, tem-se como histórico de temas desses congressos: o I  Conbalf/UFMG, no qual se discutiu o tema  “Os sentidos da alfabetização no Brasil: o que sabemos, o que fazemos e o que queremos”; o  II Conbalf/UFPE, em que foi abordado o tema “Políticas públicas de alfabetização”; o  III Conbalf/UFES, no qual se refletiu acerca do tema “Alfabetização e seus diálogos”; e o IV Conbalf/UFMG, em que se problematizou  o tema “Qual alfabetização para qual tempo?

Tendo em vista as repercussões desses encontros no cenário nacional e a grande importância do Conbalf para a identidade do campo de estudos e investigação sobre alfabetização, para diálogo entre pesquisadores nacionais, internacionais, professores e gestores e para a reflexão e divulgação de práticas relativas ao ensino da leitura e da escrita,  está sendo proposto o V Congresso Brasileiro de Alfabetização, que ocorrerá em 2021, presencialmente, com o tema: ALFABETIZAÇÃO: POLÍTICAS, PRÁTICAS E RESISTÊNCIAS.

A Associação Brasileira de Alfabetização ABAlf teve sua criação a partir de iniciativas de professores e pesquisadores brasileiros em outubro de 2009, quando a proposta foi apresentada em Sessão Especial durante a 32ª Reunião Anual da ANPEd – Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação.

Em 09/09/2010, a proposta foi formalmente apresentada e aprovada na Plenária Final do I SIHELE – Seminário Internacional sobre História do Ensino de Leitura e Escrita, realizado na UNESP- Universidade Estadual Paulista – campus de Marília e cujo tema foi “A constituição do campo da história da alfabetização no Brasil”.

Em 18/10/2010, a criação da ABAlf foi também aprovada pelo GT10 – “Alfabetização, leitura e escrita”, da ANPEd. Assim, sua criação ocorreu em Assembleia realizada em 18/07/2012, nas dependências da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, durante o 18º. COLE – Congresso de Leitura, promovido pela ALB – Associação de Leitura do Brasil.

Considerando sua missão e fundamentando-se na constatação de que a alfabetização é um campo de pesquisa e de atuação, com uma problemática própria e ações específicas, foram delineados os seguintes  objetivos para a ABAlf: congregar profissionais que desenvolvem atividades de pesquisa, docência e gestão relativas à Alfabetização; constituir-se como referência para discussões e proposições sobre alfabetização e processos afins; reforçar a dimensão política da alfabetização, exercendo posicionamentos críticos e políticos articulados, contundentes e representativos; realizar e incentivar estudos sobre alfabetização em suas diferentes modalidades de ensino (da educação infantil a educação de jovens, adultos e idosos), facetas e perspectivas teóricas; fomentar atitude crítica e pluralismo teórico na abordagem do tema; promover intercâmbio com entidades congêneres nacionais e internacionais; propiciar articulação entre produção de conhecimento e demandas educacionais e políticas, sem prejuízo da autonomia política e científica da ABAlf;  realizar e estimular diferentes formas de divulgação da produção científica e ações pedagógicas relativas à alfabetização; organizar e promover eventos sobre o tema.

Pautando-se nesses objetivos gerais da ABAlf e nas necessidades que se colocam no cenário brasileiro no campo da alfabetização, atravessado, entre outras questões, pela  institucionalização, por meio de Decreto, da  “nova” Política Nacional de Alfabetização (PNA) e, em seu bojo, diversas ações que contrariam todo um conjunto de evidências científicas construídos nas últimas décadas sobre alfabetização, é que se definem os objetivos do V CONBAlf, a saber:


Imagem da página inicial da Conferência